O Sequestro Maçônico

Há quem aposte suas fichas na ideia de que o Menino do Acre tenha sido sequestrado pela Maçonaria.

17 de abril de 2017 • Por giordano, em Conspiratórias

Uma das teorias conspiratórias a respeito do sumiço de Bruno Borges, o “Menino do Acre”, dá conta de que a maçonaria o teria sequestrado por ter ele descoberto os segredos maçônicos e ameaçar contá-los ao mundo em seus 14 livros criptografados de acordo com a chave de criptografia do Manual do Escoteiro Mirim, ou algum outro tipo de alfabeto esotérico.

Outra vertente diz que a Maçonaria o teria sequestrado pelo fato de o moço ter ido tão longe em seus estudos que teria descoberto ou aprendido algo totalmente novo, capaz de revolucionar a maneira como as escolas iniciáticas tratam o conhecimento que já têm.

Há também quem diga que o rapaz teria sido sequestrado para ser sacrificado em rituais de sangue, em oferenda a entidades da obscuridade no meio da floresta.

Nenhuma dessas teorias tem o menor fundamento, uma vez que:

  • a maçonaria não faz nenhum tipo de ritual fora de suas lojas (que é como se chamam os templos maçônicos);
  • a maçonaria não pratica nenhum tipo de adoração, muito menos sacrificar vidas em quaisquer rituais;
  • os conhecimentos iniciáticos da maçonaria já são transmitidos a discípulos de outras escolas esotéricas também, de forma que a ordem não tem nada a temer com relação à “revelação” de seus segredos.

De qualquer forma, pessoas que acreditam em bobagens e mentiras — o que é reforçado pelo caráter misterioso com que a maçonaria atua — continuam repetindo este tipo de asneira repletas de medo e preocupação.

Compartilhe

Deixe seu comentário!